29 de dezembro de 2013

Meme literário de um mês - Dia 29

Dia 29 – Leia o livro, veja o filme: que adaptações você amou e quais odiou?
R.:

Melhor adaptação de livro para filme:

Memórias Póstumas de Brás Cubas, do escritor Machado de Assis



Pior adaptação de livro para filme:




28 de dezembro de 2013

Meme literário de um mês - Dia 28

Dia 28 – Veja o filme e leia o livro: quantas vezes isso aconteceu com você?
R.: Acontece comigo a maior parte do tempo. Normalmente eu penso em ler o livro antes de ir ao cinema, mas nem sempre é possível dada a grande produção literária. Sou da ideia de que é melhor ler o livro antes de ver o filme, pois o primeiro trabalha a nossa imaginação e imagens mentais que criamos a partir do que lemos. Funciona como um cinema interno e quando eu vejo o filme antes do livro, aquele personagem fica em minha cabeça e "contamina" o que eu poderia imaginar. Ítalo Calvino falou um pouco sobre isso em seu livro Seis Propostas Para o Novo Milênio, da editora Companhia das Letras.



27 de dezembro de 2013

Meme literário de um mês - Dia 27

Dia 27 – Se você fosse um personagem, qual seria?
R.: Anne, do livro da Jane Austen chamado "Persuasão". Por falar nisso, comprei um 3 em um da Jane pela editora Martin Claret e estou adorando! Olha só que capa mais bonita:




26 de dezembro de 2013

Meme literário de um mês - Dia 26

Dia 26 – Sua biblioteca é sua e ninguém tasca ou você liberta seus exemplares pelo mundo?
R.:Confesso que sou um pouco ciumenta com meus livros, mas procuro emprestá-los quando sei que a pessoa vai cuidar direitinho dele. Os meus livos são como pessoas queridas pra mim.



24 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 24

Dia 24 – Comprar livros: pra quem?

R.: Livro é um presente agradável para qualquer pessoa, inclusive as que não gostam de ler.



22 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 22

Dia 22 – O marco entre a juventude e a maturidade: ele está em algum livro que você leu?
R.: Isso aconteceu durante a (re)leitura de Memórias Póstumas de Brás Cubas. A segunda vez foi mais leve e compreensível do que a primeira, que foi na pré-adolescência...


21 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 21

Dia 21 – Os turbulentos tempos da adolescência: que livro emergiu deles?
R.: A marca de uma lágrima iniciou a minha história de amor com Pedro Bandeira e foi na adolescência que isso se deu...


20 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 20

Dia 20 – Os inesquecíveis dias da infância: você teve algum livro que ficou lá?
R.: Lembro com o maior carinho do livro "Maria vai com as outras", da escritora Sylvia Orthof que a professora Ana Régis nos contava lá no Colégio Nossa Senhora das Neves...S2



19 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 19

Dia 19 – Ebooks: amou ou deixou?
R.: Ameeeeeeeeeeeeeeeeeei! Não largo mais! Veja aqui o post que fiz falando sobre o Kindle e consequentemente as vantagens de um leitor de ebooks.




18 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 18

Dia 18 – A capa inesquecível e o livro ruim e a capa medonha e o livro inesquecível: você já topou com esses casais?
R.: Vamos lá...

Capa legal, livro ruim:


Capa estranha, livro excelente:



17 de dezembro de 2013

15 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 15

Dia 15 – “Meu salvador!”: revele sua admiração pelo seu herói literário, aquele personagem que inspira o que você é.
R.: Nunca parei para pensar nisso, mas um personagem que eu admiro bastante é Diadorim, d'O Grande Sertão Veredas. É forte, surpreendente e o mais que eu disser será  spoiler...

14 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 14

Dia 14 – “Nosso amor é impossível!”: conte sua história de amor por um personagem literário.
R.: Na adolescência eu li devorei a Série Cris. Através dela eu conheci o personagem lindo fofo e maravilhoso Ted. Ah! Eu casaria com ele, rs.



13 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 13

Dia 13 – Orelhas e quarta capas: o que elas podem (e devem) ou não dizer?
R.:Elas podem (e devem) falar sobre o autor e suas obras anteriores. O que eu não suporto ler nelas são spoilers, afinal, não tem coisa piro do que você ler um livro já sabendo o final dele. Eu pelo menos não gosto. Adoro descobrir tudo sozinha sobre a narrativa.


12 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - Dia 12

Dia 12 – Qual a importância na edição (fonte, capa, papel, margens) para você?
R.: A edição é fundamental. A seleção da capa determina se o que vai acontecer dentro do livro combina com ela ou não; a fonte deve ser confortável aos olhos; as margens precisam dar espaço para as anotações de leitura (isso só vale para pessoas que como eu fazem isso em seus livros).

11 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês - dia 11

Dia 11 – Gêneros de literatura: qual você ama e qual odeia?
R.: Amo todos os gêneros da literatura, não odeio algum em específico; cada um tem a sua beleza e importância...




9 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês 2013 - Dia 9

Dia 09 – Que livros você está lendo neste momento e por que logo estes?
R.: No momento estou lendo Não Tenho Fé Suficiente Para Ser Ateu, do Norman L. Geisler, pois ganhei o mesmo de presente há um tempo e ainda não tinha tido tempo para lê-lo.


8 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês 2013 Dias 7 e 8

Dia 07 – Qual o autor favorito - aquele que você gostaria de ler a obra completa (se já não o fez)?
R.: Manoel de Barros



Dia 08 – Que livro/autor já decepcionou você?
R.: O Teorema de Katherine.


6 de dezembro de 2013

Meme Literário de um mês 2013 - Apresentação e dias 1,2,3,4,5 e 6




2013 tá acabando e eu resolvi aderir novamente ao Meme Literário 2013 que vi no blog Quarto Escuro.A ideia do meme é responder a um questionário com 31 perguntas, uma para cada dia de dezembro. Quem se interessar em fazer também é só acessar esse link que contém as perguntas. Divirtam-se!  ;)

Já inicio atualizando os dias que perdi, pois só resolvi aderir ao meme hoje, dia 06/12/2013. A partir de amanhã, postarei uma pergunta por dia:

Dia 01 – Se você leu algum livro hoje, cite um trecho; se não leu, cite algo do livro que estiver lendo.
R.: Estou lendo um livro chamado Depressão Espiritual, de Martyn Lloyd Jones. O livro é perfeito para uma fase da vida que está se concretizando agora...

Dia 02 – Qual foi o último livro que leu e qual é o próximo livro que lerá depois do atual?
R.:O último livro que eu li foi um de crônicas da Martha Medeiros chamado "Coisas da vida" e o próximo que pretendo ler é "Persuasão", da Jane Austen.

Dia 03 – Você faz algum registro dos livros que lê e, se faz (ou não), por quê?
R.:Costumo fazer sim, se bem que ultimamente não tem sobrado muito tempo para isso, mas gosto de anotar, resenhar, e na maioria das vezes eu faço isso no próprio livro usando lápis grafite. Acho fundamental registrar pensamentos, sublinhar trechos que me saltaram aos olhos, pois ajuda a fixar a leitura na memória.

Dia 04 – Como você escolhe seus livros: recomendação de amigos, resenha, blogs, sites, pela capa, por título, por impulso?
R.: Escolho os meus livros por recomendação, pela capa, pelo autor, por impulso também.

Dia 05 – Você tem um momento ou local favorito para ler?
R.: Adoro ler no ônibus ou deitada em minha cama.

Dia 06 – Qual a obra que determinou sua paixão por livros?
R.: Os gibis.

7 de novembro de 2013

Uma crônica desvairada




Ela adentrou aquele local e logo foi invadida pela atmosfera musical que o mesmo oferecia.
Tom Jobim foi quem fez a honras da casa e a fez sentir-se muito à vontade. Meio sem graça, ela perguntou aonde ficava o toalete e ao receber as devidas instruções "entre à direita e em seguida dobre à esquerda", encontrou o lugar.
Um pequeno corredor a conduziu ao seu destino, mas de súbito, parou estupefata com o que via: fotos e mais fotos de grandes músicos de várias épocas diferentes, vivos e mortos também!
Sentiu um profundo arrepio que lhe percorreu todo o corpo e ficou paralisada por uns minutos ao sentir todos aqueles olhares que se lançavam sobre ela, o que lhe pareceu uma eternidade. Seu segundo instinto foi sair correndo dali, mesmo diante da tentativa vã dos Beatles, Chico Buarque, Caetano Veloso de segurá-la ali.
"Não, definitivamente!" Ela respondeu para eles.
E correu desvairadamente o mais rápido que pôde para fora daquele lugar de tantas vozes que gargalhavam com a sua reação.
Como que retornando de um sonho daqueles reais ela se vê diante do palco em que um violonista magicamente tocava a música Desvairada e ficou muito confusa, pois não sabia se havia sonhado ou desvairado de vez...





Obs:. qualquer semelhança com a realidade é mera (ir)realidade.

9 de outubro de 2013

Começo e f i m.

Entre um começo e um
                                                                                            f i m
Uma p(arte) fica outra(s) levam de  m i m.

E assim, nesse e t e r n o  (re)começo

 e fim transformo em palavras, enfim; esse ciclo em m i m.




Fonte da imagem: http://confabulandoimagens.blogspot.com.br/2011/10/o-pintor-plantava.html

6 de outubro de 2013

Samba de uma nota só...

Só porque ela está grudada que nem chiclete no pensamento e soando nos ouvidos o dia inteiro. Achei digna na voz da Vanessa da Mata, de autoria do Tom Jobim.


A letra é genial (que clichês,mas como descrevê-la?):

Eis aqui este sambinha feito numa nota só.
Outras notas vão entrar, mas a base é uma só.
Esta outra é consequência do que acabo de dizer.
Como eu sou a consequência inevitável de você.
Quanta gente existe por aí que fala tanto e não diz nada,
Ou quase nada.
Já me utilizei de toda a escala e no final não sobrou nada,
Não deu em nada.
E voltei pra minha nota como eu volto pra você.
Vou cantar com uma nota como eu gosto de você.
E quem quer todas as notas: ré, mi, fá, sol, lá, si, dó.
Fica sempre sem nenhuma, fique numa nota só

Beijos, Tom Jobim

3 de outubro de 2013

Sobre dançar na chuva quando a chuva vem...



 Quando chover, deixar molhar
Pra receber o sol quando voltar...








Chorar, sorrir também e depois dançar
Na chuva quando a chuva vem...

2 de setembro de 2013

"Namore uma garota que lê"



O texto a seguir não é meu, mas é um daqueles achados em meio àquela chuva de informações chamado Facebook.Postei aqui porque achei uma gracinha, fofo, delicado, inspirador e por me identificar com muitas coisas também. Degustem!

Namore uma garota que gasta seu dinheiro em livros, em vez de roupas. Ela também tem problemas com o espaço do armário, mas é só porque tem livros demais. Namore uma garota que tem uma lista de livros que quer ler e que possui seu cartão de biblioteca desde os doze anos.

Encontre uma garota que lê. Você sabe que ela lê porque ela sempre vai ter um livro não lido na bolsa. Ela é aquela que olha amorosamente para as prateleiras da livraria, a única que surta (ainda que em silêncio) quando encontra o livro que quer. Você está vendo uma garota estranha cheirar as páginas de um livro antigo em um sebo? Essa é a leitora. Nunca resiste a cheirar as páginas, especialmente quando ficaram amarelas.

Ela é a garota que lê enquanto espera em um Café na rua. Se você espiar sua xícara, verá que a espuma do leite ainda flutua por sobre a bebida, porque ela está absorta. Perdida em um mundo criado pelo autor. Sente-se. Se quiser ela pode vê-lo de relance, porque a maior parte das garotas que leem não gostam de ser interrompidas. Pergunte se ela está gostando do livro.

Compre para ela outra xícara de café.
Diga o que realmente pensa sobre o Murakami. Descubra se ela foi além do primeiro capítulo da Irmandade. Entenda que, se ela diz que compreendeu o Ulisses de James Joyce, é só para parecer inteligente. Pergunte se ela gostaria de ser a Alice.

É fácil namorar uma garota que lê. Ofereça livros no aniversário dela, no Natal e em comemorações de namoro. Ofereça o dom das palavras na poesia, na música. Ofereça Neruda, Sexton Pound, E. E. Cummings. Deixe que ela saiba que você entende que as palavras são amor. Entenda que ela sabe a diferença entre os livros e a realidade, mas, juro por Deus, ela vai tentar fazer com que a vida se pareça um pouco como seu livro favorito. E se ela conseguir não será por sua causa.

É que ela tem que arriscar, de alguma forma.
Trate de desiludi-la. Porque uma garota que lê sabe que o fracasso leva sempre ao clímax. Essas garotas sabem que todas as coisas chegam ao fim. E que sempre se pode escrever uma continuação. E que você pode começar outra vez e de novo, e continuar a ser o herói. E que na vida é preciso haver um vilão ou dois.

Por que ter medo de tudo o que você não é? As garotas que leem sabem que as pessoas, tal como as personagens, evoluem.

Se você encontrar uma garota que leia, é melhor mantê-la por perto. Quando encontrá-la acordada às duas da manhã, chorando e apertando um livro contra o peito, prepare uma xícara de chá e abrace-a. Você pode perdê-la por um par de horas, mas ela sempre vai voltar para você. E falará como se as personagens do livro fossem reais – até porque, durante algum tempo, são mesmo.

Você tem de se declarar a ela em um balão de ar quente. Ou durante um show de rock. Ou, casualmente, na próxima vez que ela estiver doente. Ou pelo Skype.

Você vai sorrir tanto que acabará por se perguntar por que é que o seu coração ainda não explodiu e espalhou sangue por todo o peito. Vocês escreverão a história das suas vidas, terão crianças com nomes estranhos e gostos mais estranhos ainda. Ela vai apresentar os seus filhos ao Gato do Chapéu e a Aslam, talvez no mesmo dia. Vão atravessar juntos os invernos de suas velhices, e ela recitará Keats, num sussurro, enquanto você sacode a neve das botas.

Namore uma garota que lê porque você merece. Merece uma garota que pode te dar a vida mais colorida que você puder imaginar. Se você só puder oferecer-lhe monotonia, horas requentadas e propostas meia-boca, então estará melhor sozinho. Mas se quiser o mundo, e outros mundos além, namore uma garota que lê.

Ou, melhor ainda, namore uma garota que escreve.

— Texto original de Rosemary Urquico, aqui traduzido e adaptado por Therllym Chalega.

12 de agosto de 2013

Memórias (doces) da minha adolescência: Cris e Ted

 
 
 
 
- Sabe, Kilikina? Há muito tempo que eu estava orando para que nós dois estivéssemos juntos assim.
Descansando a cabeça no seu ombro, Cris respondeu:
- Eu também tenho pedido isso a Deus, Ted. Lembra quando você, um dia desses, disse que era tempo de nos alegrarmos?
- Lembro, replicou ele em voz baixa e doce.
- Acho que sei uma expressão melhor.
- É? Qual?
- Amar. Para nós, agora é tempo de amar.
Aconchegada a ele, Cris sentia vibrar dentro de si o eco harmonioso de suas palavras.
- Gostei dessa. Tempo de amar.
Juntos contemplaram o pôr-do-sol, cada qual ouvindo a respiração firme do outro e sentindo o calor um do outro.

Em "Tempo de amar"
 
O trecho acima foi retirado  daqui.

26 de julho de 2013

Uma vó que faz poesia...





Hoje é o dia das avós, aqueles serzinhos maravilhosos criados por Deus para cuidar com carinho dos netinhos, "estragá-los" e entupi-los com guloseimas. Lembro com muita saudade da minha avó Iaponira e dos seus mimos para comigo. Nunca esquecerei dos quitutes e dos momentos de acolhida em seu lar.
Se eu fosse pensar numa vó para eleger para mim eu possivelmente escolheria a poetiza Adélia Prado. O meu 1º contato com a sua poesia aconteceu no final de 2009 quando naquele ano eu faria uma seleção de mestrado em Campina Grande e tive como (grata) tarefa realizar a leitura do livro Terra de Santa Cruz. O mais legal é que ela ainda está viva e produzindo bastante!
Deixarei como encerramento deste pequeno post-tira-teia-de-aranha-do-blog-meio-abandonado-por-falta-de-tempo um poema dela cujo título é Ensinamento (vocês hão de convir que ensinar é a especialidade das avós):


Ensinamento

Minha mãe achava estudo
a coisa mais fina do mundo.
Não é.
A coisa mais fina do mundo é o sentimento.
Aquele dia de noite, o pai fazendo serão,
ela falou comigo:
"Coitado, até essa hora no serviço pesado".
Arrumou pão e café , deixou tacho no fogo com água quente.
Não me falou em amor.
Essa palavra de luxo.



Fonte

1 de maio de 2013

Equilíbrio - A vida não faz acordos

Há uns meses falei sobre o meu kindle e as vantagens de leituras através dele. Quem ficou curioso, pois ainda não leu o post, acesse o link aqui.
Depois da postagem sobre o kindle, algumas pessoas começaram a perguntar o que eu andava lendo nele. Sempre que visito o site da amazon, dou uma olhadinha nos livros gratuitos e por causa do hábito já tenho bons títulos tanto em português quanto em inglês de alguns clássicos. Certo dia, visitando a página dos eBooks gratuitos, me deparei com um chamado Equilíbrio - A vida não faz acordos da escritora Flavia Mariano e li rapidinho.
A leitura flui fácil e envolve. A história é sobre uma moça chamada Marília, que se vê engolida pela correria do seu trabalho ao ponto de não ter tempo para nada, até que resolve fazer uma viagem de autoconhecimento. O livro traz lições simples e reflexivas para repensarmos a vida e as prioridades que escolhemos para nós. Não me sinto muito atraída pela leitura de livros de auto-ajuda, mas esse acabou caindo na minha simpatia e confesso que o fato dele ser gratuito me deixou com um pé atrás, hehe. Fiquei surpresa e satisfeita com o que li.
Durante a leitura, marquei alguns trechos que saltaram os olhos:

"[...] os melhores anos de sua vida estão sendo oferecidos de bandeja a um esforço que nunca acabará, pois, quanto mais temos, mais queremos ter. Transformamos o fruto do nosso trabalho em bens materiais só para termos a impressão de que todo o esforço de vida desperdiçada está valendo a pena." (página 37)

"Se eu fosse seguir tudo o que a sociedade tem definido como in, eu estaria completamente out de mim." (página 51)

"Podemos passar a vida sonhando com o dia de amanhã ou aproveitar o hoje como se o amanhã nunca fosse existir." (páginas 135 e 136)

"[...] quando você se transforma, tudo ao seu redor também se transforma." (página 136)


Livro: Equilíbrio - A vida não faz acordos
Editora: KBR
Formato: Edição Kindle
Tamanho do arquivo: 520 KB
Número de páginas: 200


6 de abril de 2013

Sobre olhar para dentro

Há saudades que devem ser mantidas (apenas) na mente e no coração, ainda mais quando se sabe que caminhar em direção a elas será doloroso.




8 de março de 2013

"De dentro"

Ontem tive a oportunidade de visitar uma exposição bem interessante. Fotografei quase tudo e trouxe aqui para compartilhar com vocês. A exposição chama-se "Andedan" e significa "de dentro". O artistas plástico Marcos Popó utiliza materiais e técnicas simples para trazer "de dentro" trabalhos interessantíssimos. Alguns dos materiais utilizados são: chocolate, fios, pregos, furadeira, madeira, pedaços de papel, fita adesiva. Eis alumas das principais peças que ele produziu:


Umas das mais interessantes da exposição é a reprodução de uma foto do Pelé feita com boladas e usando tinta acrílica em um lençol.

A imagem acima foi produzida utilizando um pedaço de madeira e toda entalhada com uma faca. Eu diria que a metalinguagem da faca aparecendo no quadro, dando pistas de como o mesmo foi feito é bem interessante.

O rapaz retratado acima é um amigo próximo do artista. Para essa peça ele usou a furadeira em um pedaço de madeira e para desenhar o rosto, gesso. Tirei uma foto aproximada de um detalhe do quadro para ressaltar o gesso.

Eu vibrei quando vi a imagem do Machado de Assis e a técnica é simples: lembram quando na escola a professora do jardim de infância nos colocava para cortar tirinhas de papel e formar imagens? Essa foi a técnica que o artista utilizou e com um detalhe interessantíssimo: as tirinhas de papel eram parte de uma reportagem sobre o livro Brás Cubas, do autor retratado.

A peça acima foi feita basicamente utilizando uma chapa de ferro e solvente em várias camadas para retratar o personagem Nilo vivido pelo ator José de Abreu.

As duas acima foram feitas com prego e fios entrelaçados neles. Segundo a moça que explicou a exposição, essa é uma técnica antiga nas artes plásticas. A riqueza de detalhes impressiona os olhos.

As duas acima foram desenhadas com caneta hidrocor e adquiriram um aspecto aquarelado.

O amigo do artista foi mais uma vez retratado através de impressões com carimbo. O número que contém na ferramenta é um registro do rapaz que aparece na imagem e...


... ao lado estava a ponte do Brooklyn, um dos lugares preferidos do mesmo rapaz e produzida com o mesmo carimbo da imagem anterior.
Peças que foram produzidas com técnica semelhante: entalhe em madeira.

Aqui são as famosas pinturas feitas com chocolate. As que estavam expostas eram fotografias, pois o chocolate poderia derreter ou atrair formigas. A maioria das imagens retratadas foram feitas por encomenda ou mostra pessoas do convívio do autor. 

Reconhecem o cara da foto acima? A sua imagem foi entalhada de forma mais violenta (reparem na segunda imagem) em uma porta de armário de cozinha. 

Ah, essa é uma das mais bonitas e foi feita com fita adesiva, nada mais!


E essa aqui também! Ele retratou a esposa.
Clique na imagem e veja como ele retratou bem o que acontece no contexto da mulher quando está programando o seu casamento, hehe.

Lindíssima colagem com quadradinhos de papel colorido.

Retrato da filha do artista feito com uma furadeira em madeira...

... a foto que serviu de modelo.

A foto da Ivete tomou forma através de vários quadrados coloridos desenhados.


Pintura em tinta óleo, mais uma imagem do Seu Jorge.

Aos que residem em Natal e desejam visitar:

Exposição “Andedan” do artísta Plástico “Marcos Popó” 
Vernissage: 1º de Março de 2013, às 18 horas e 30 minutos
Período da Exposição: 01 de Março de 2013 a 31 de Março de 2013
Local: Galeria de Arte Campus Natal Cidade Alta – IFRN

Av. Rio Branco,743, Cidade Alta, Natal/RN

Curadoria: Mára Beatriz Pucci de Mattos e Marcos Vinicíus de Oliveira Pereira
Produção Cultural: Jonathan Francioli, Jocasta Andrade e Sonia Silva




Good People (Spoiller Alert!), de David Foster Wallace

Leia o texto a seguir e somente após ter feito isso, volte e leia a análise: GOOD PEOPLE Two young Christians and an unwanted pregna...

•top sabores•